OAB Niterói apresenta 'Exposição e debate sobre Luiz Gama' no dia 6 de novembro

Em realização conjunta com a OAB/RJ, Bloco Data Vênia Doutor, Faculdade de Direito da UFF e Escola de Samba Acadêmicos do Cubango, a OAB Niterói promove no próximo dia 6 de novembro a "Exposição e debate sobre Luiz Gama".

O evento acontecerá das 18h às 21 horas, no auditório da entidade e terá como expositores: Ricardo Rodrigues, presidente da Comissão de Igualdade Racial da OAB Niterói; Jacques D'Adesky, antropólogo e economista, professor visitante do programa de pós-graduação em Sociologia e Direito da Faculdade de Direito da UFF, e Adriana Alves Cruz, juíza titular da 5ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, que abordarão o tema "Luiz Gama sob as diferentes visões: Advocacia, Academia e Cultura". A mediação será feita por Sérgio Fernandes, advogado e diretor do Bloco Data Vênia Doutor.

Participarão ainda: Rafael Torres, professor de Geografia e Alexandre Rangel, professor de História, ambos carnavalescos da Acadêmicos do Cubango, escola de samba que abordará Luiz Gama como enredo em 2020, e Carlos Mariano Filho, professor de História, pesquisador de Carnaval e autor do enredo do Grêmio Recreativo Garra de Ouro, que abordou esse enredo em 2019, os quais falarão sobre "Luiz Gama no contexto do Carnaval".

O auditório da OAB Niterói fica na Av. Ernani do Amaral Peixoto, 50/11º andar, Centro.

O homenageado

Luiz Gonzaga de Pinto Gama nasceu em 2 1 de junho de 1830, em Salvador (BA), era negro e abolicionista, tendo libertado mais de 500 escravos pela via judicial, mesmo não sendo advogado. Impedido de cursar Direito na atual Universidade de São Paulo (USP) por ser negro, assistiu às aulas como ouvinte e assim obteve o conhecimento jurídico necessário para atuar como rábula.

Em razão da sua luta, a Ordem dos Advogados do Brasil reconheceu a ele, postumamente, em 2015, o título de advogado. E em 2018 foram publicadas as leis nº 13.628, que o declaram herói da pátria e patrono da Abolição da Escravidão.