OAB Niterói deseja um Feliz Dia das Mães

Data de maior apelo comercial depois do Natal, espera-se para o Dia das Mães deste ano, em meio à pandemia mundial da Covid-19, uma queda nas vendas de aproximadamente 60% frente ao ano passado. Isso importa? Para a economia, muito! Mas para as mães, não - ao menos não deveria.

Pois o Dia das Mães não surgiu por interesse comercial, chegando mesmo a ser criticado por sua idealizadora, a norte-americana Anna Jarvis, quando viu que o comércio havia se apropriado da data.

Seja no 2 º domingo de maio seja em outras datas, com o tempo essa comemoração foi acolhida em todo o mundo pelas mães - e por toda a sociedade -, passando a ser ocasião de manifestação de carinho, tradicional almoço alegre com toda a família, recordações da infância, sobremesa especial.

No Brasil, quem tem a mãe ainda viva quer estar com ela nessa data especial. Como quer no Natal, aniversário, Páscoa, Ano Novo, pelo menos. Rever a mãe é renovar as emoções, dar aquele abraço gostoso de mãe/filho, voltar ao colo acolhedor, mostrar a ela com orgulho os próprios filhos.

E nada disso pode acontecer este ano. É tempo de isolamento social. Nada de visitas. Nada de comprar presentes. Nada de abraços. Nada de colo materno.

Precisamos ter consciência da gravidade do momento e do sacrifício que exige de todos. Para as mães, convenhamos, esse esforço nem é tão difícil, elas que se sacrificaram tanto durante nove meses... e nos primeiros anos do bebê tão aguardado... e nos primeiros passos... e nas doenças que vieram... (E elas, em alguma fase da vida dos filhos, param de sofrer por eles?)

Este ano será apenas um Dia das Mães de distanciamento. Como mãe e filho em cidades distantes. Algumas mães e alguns filhos também internados em hospitais, certamente... São muitas as situações, mas toda mãe tem o talento de esperar. E esperar agora pelo dia propício para o reencontro. Que os filhos também cultivem em si essa capacidade.

Para todas, e em especial as colegas advogadas, um Feliz Dia das Mães!