OAB Niterói online
Notícias
TRF1 - Julgamento do crime de latrocínio tentado é de competência do juízo singular

TRF1 - Julgamento do crime de latrocínio tentado é de competência do juízo singular


A 3ª Turma do TRF 1ª Região, por unanimidade, deu provimento ao recurso interposto pelo Ministério Público Federal (MPF) contra a sentença, da 1ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Imperatriz/MA, que pronunciou o acusado como incurso no art. 121 do Código Penal (homicídio), na forma tentada e em concurso material com o crime de roubo majorado pelo uso de arma de fogo (art. 157, § 2º, I), para o fim de ser o réu julgado pelo Tribunal do Júri.
 
Em suas razões, o MPF alegou que o denunciado cometeu o crime com ajuda de comparsas, mediante grave ameaça exercida com emprego de arma de fogo, subtraída da agência dos Correios em Itinga/MA a quantia de dois mil reais, além de pertences de pessoas que se encontravam no local e com a arma do vigilante disparou cinco tiros em direção ao policial militar que o perseguia, não conseguindo matá-lo por circunstâncias alheias à sua vontade. Afirmou, ainda, que “o crime cometido pelo réu não está tipificado entre os crimes cometidos contra a vida, e, portanto, não está sujeito ao rito do Júri."
 
Requer o ente público o provimento do recurso para o prosseguimento da ação penal nos moldes em que a denúncia foi oferecida.
 
Ao analisar a questão, a relatora, juíza federal convocada Rogéria Maria Castro Debelli, entendeu que quem adentra um estabelecimento armado de revólver, na companhia de um comparsa, com a intenção de subtrair bens e durante a fuga dispara tiros contra o policial que o persegue, só pode estar pretendendo matá-lo. Segundo a juíza, “mesmo que a intenção fosse direcionada apenas para o roubo, o resultado, pela previsibilidade, implica no reconhecimento do latrocínio tentado. E o evento morte somente não ocorreu por circunstâncias alheias à vontade do agente, já que não conseguiu atingir a vítima, embora tenha disparado várias vezes em sua direção”.
 
A magistrada destacou que o caso concreto enquadra-se na hipótese em que há a subtração do bem, mas não se consumou a morte, embora o agente tenha agido com animus necandi, o que é corroborado pela letalidade do instrumento utilizado (arma de fogo), cuja consumação não se verificou por circunstâncias alheias à vontade do réu.
 
Concluiu a juíza federal convocada que, diante disso, impõe-se a desconstituição da sentença recorrida, porquanto os elementos concretos do caso em análise levam à conclusão da existência do crime de latrocínio tentado, porquanto o resultado morte não se consumou por circunstâncias alheias à vontade do acusado, ficando claro o risco assumido com o objetivo de assegurar a posse das coisas roubadas e a impunidade mediante fuga.
 
Nesses termos, o Colegiado, acompanhando o voto da relatora, deu provimento à apelação para desconstituir a sentença recorrida e determinar o retorno dos autos à origem para prosseguimento da ação penal perante o juízo singular.
 
Processo nº: 0002180-51.2015.4.01.3701/MA
Fonte: TRF1



back

:: Mais Noticias
  •  (09-01-2018) - OAB Niterói assina nesta quinta-feira, dia 11, convênio com clínica médica para consultas a R$ 60
  •  (09-01-2018) - OAB Niterói realiza primeira entrega de carteiras a novos advogados e estagiários de Direito dia 11
  •  (19-12-2017) - Feliz Natal e um 2018 de alegrias!
  •  (19-12-2017) - OAB Niterói suspenderá rede de informação até 20 de janeiro, acompanhando as férias dos advogados
  •  (19-12-2017) - OAB Niterói estará em recesso de 20 de dezembro a 7 de janeiro para as festas de fim de ano
  •  (19-12-2017) - Turma de Direito da UFF de 1967 comemora Jubileu de Ouro de formatura no dia 19 de janeiro
  •  (18-12-2017) - TRT3 - Aumento jornada em readaptação acompanhada aumento salarial não representa alteração lesiva
  •  (18-12-2017) - STJ - Tribunal edita seis novas súmulas
  •  (18-12-2017) - STF - Tribunal inicia julgamento de ações sobre o novo Código Florestal
  •  (18-12-2017) - CJF - TNU cancela enunciado da Súmula nº 51
  •  (18-12-2017) - TNU - Certidão é essencial para contagem de tempo trabalhado
  •  (18-12-2017) - Ementário de Jurisprudência Cível Nº 32/2017 do TJRJ
  •  (15-12-2017) - STJ - Reconhecimento de união estável com pessoa casada não pode dispensar citação do cônjuge
  •  (15-12-2017) - STJ - Primeira Turma nega acesso de município a informações individualizadas colhidas pelo IBGE
  •  (15-12-2017) - TST - Empresa pagará equivalente a seguro-desemprego porque fez três cadastros de PIS de empregado
  •  (15-12-2017) - STJ - O sonho da maternidade às portas
  •  (14-12-2017) - TRF1 - Insuficiência da penhora não é causa para a extinção dos embargos do devedor
  •  (14-12-2017) - TJAL - Nova lei facilita processo de adoção de crianças; saiba o que mudou
  •  (14-12-2017) - TRT13 - O direito e o Trabalho
  •  (14-12-2017) - CNJ: Modernizar cartórios é inadiável, diz Noronha aos corregedores
  •  (14-12-2017) - TRF1 - Crédito tributário declarado e não honrado no seu vencimento pode ser inscrito imediatamente
  •  (14-12-2017) - TRF1 - Tribunal mantém sentença que afasta a Taxa de Saúde Suplementar
  •  (14-12-2017) - TJPB - Acusado de abandono material por falta de pagamento de pensão alimentícia tem apelo negado
  •  (14-12-2017) - Informativo STF