OAB Niterói online
Notícias
OAB/RJ cobra do BB solução para problema com mandados

OAB/RJ cobra do BB solução para problema com mandados

 

Representantes do Banco do Brasil (BB) estiveram na sede da OAB/RJ para uma reunião antes de responderem formalmente ao ofício enviado pela Procuradoria da Seccional na véspera, em que a Ordem manifestou reprovação e solicitou a revogação da recente medida estabelecida pelo banco no sentido de restringir DOCs e TEDs de mandados de pagamentos apenas para correntistas. O ofício foi assinado pelo presidente da Ordem, Felipe Santa Cruz, pelo tesoureiro e presidente da Comissão de Prerrogativas, Luciano Bandeira, e pelo procurador-geral, Fábio Nogueira.

“Temos certeza de que o BB não tem a intenção de impor a abertura de contas, já imaginávamos que o problema fosse alguma questão burocrática. Em resposta ao nosso ofício, os representantes vieram, de forma cortês, para esta reunião, antes de responder formalmente. A partir do retorno oficial da instituição, a Ordem irá analisar a questão e, juntamente com o presidente Felipe Santa Cruz, tomaremos as medidas necessárias”, afirmou Luciano, que representou Felipe na reunião, juntamente com o procurador-geral.

O superintendente de Negócios, Varejo e Governo do BB, Rogério Lacava, garantiu que o banco “de maneira alguma quer impedir o acesso dos advogados não correntistas aos recursos”, ou manter os mesmos na instituição. “A ideia é atender a algumas legislações anteriores, basicamente relacionadas à lavagem de dinheiro. Quer dizer, tomou-se antes uma medida em um sentido e acabou-se involuntariamente atingindo outro assunto. Estamos tomando as providências para que ninguém seja prejudicado”, esclareceu.
 
Já o gerente da agência responsável pelos depósitos judiciais no Fórum, Eladio Correa, lembrou que é possível acessar o sistema de várias formas. “Gostaria de incentivar a busca pelos canais alternativos, como através do próprio site da OAB/RJ, possibilidade que está funcionando normalmente. Outra forma de agilizar o processamento é por meio da petição ao juízo, informando os dados do destinatário”, explicou.



back