OAB Niterói online
Notícias
TRF3 nega uso de força policial para reintegração de posse de imóvel construído à beira de rodovia

TRF3 - Tribunal nega uso de força policial para reintegração de posse de imóvel construído à beira de rodovia


Magistrados entenderam que o DNIT pode usar meios menos prejudiciais aos ocupantes vulneráveis
 
A Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) confirmou decisão da 1ª Vara Federal de Caraguatatuba que negou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) o uso de força policial para a reintegração de posse de um imóvel construído irregularmente na faixa de domínio de uma rodovia.

Na ação de reintegração de posse, já transitada em julgado, a sentença determinava que a ré teria até 60 dias para deixar o local e remover todos os detritos às suas custas, caso contrário, o DNIT estaria autorizado a proceder aos atos necessários para a demolição.

Porém, durante a execução da sentença, o mandado de reintegração de posse e demolição não foi cumprido, “em virtude de o imóvel estar ocupado por pessoas em estado de vulnerabilidade social com crianças pequenas, desempregados e sem condições de conseguirem outro lugar para morar, sendo necessária a intervenção do poder público”, conforme certidão do oficial de justiça.

O DNIT, então, solicitou em juízo o uso da força policial, que foi negada. Como consequência, recorreu da decisão, argumentando que ela viola a coisa julgada. Também afirmou que não tem obrigação de remover objetos e pessoas no caso de desocupação da faixa de domínio, pois "não integra a missão institucional do DNIT o reassentamento de ocupantes irregulares”.

Mas o relator do acórdão, desembargador federal Valdeci dos Santos, discordou da autarquia e entendeu que o uso de força policial no caso dos autos é medida de “extrema desproporcionalidade, considerando a situação de hipossuficiência e vulnerabilidade social na qual se encontra os agravados”.

Ele declarou também que o DNIT tem a possibilidade de adotar meios menos prejudiciais aos moradores, consistente na disponibilização de veículos, pessoal e a intermediação com entidade de assistência social para a remoção dos bens e das pessoas ocupantes do imóvel em questão.

Agravo de Instrumento 0000426-94.2017.4.03.0000/SP

Fonte: TRF3



back

:: Mais Noticias
  •  (13-12-2018) - Vice-presidente eleita da OAB/RJ,Ana Tereza Basílio é a paraninfa da última turma de novos advogados
  •  (11-12-2018) - Desembargador Claudio de Mello Tavares é eleito presidente do TJRJ
  •  (07-12-2018) - Juiz Alexandre Chini Neto é nomeado assessor da diretoria da Escola Nacional da Magistratura
  •  (06-12-2018) - Vitória para a advocacia
  •  (06-12-2018) - Obrigado!
  •  (05-12-2018) - 30 anos da Constituição Federal
  •  (04-12-2018) - Presidente da Fundação Municipal de Educação é condecorado com Medalha José Clemente Pereira
  •  (30-11-2018) - Sensação de dever cumprido
  •  (29-11-2018) - Andra Luiza Geraldino Rocha da Silva assume presidência Comissão Defesa, Assistência e Prerrogativas
  •  (27-11-2018) - Subseção Niterói realiza palestra com enfoque na “OAB e o advogado’, dia 3 de dezembro
  •  (26-11-2018) - Palestra na OAB Niterói discute os ‘Pontos controvertidos da Reforma Trabalhista’, dia 4 de dezembro
  •  (16-11-2018) - Palavra do presidente: Fatos relevantes
  •  (09-11-2018) - Palavra do presidente: Chumbo grosso
  •  (09-11-2018) - TRT/RJ elege nova administração para o biênio 2019/2021
  •  (01-11-2018) - Palavra do presidente: Medalha de ouro
  •  (26-10-2018) - Palavra do presidente: O que fazer?
  •  (25-10-2018) - Artigo: O IMPACTO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NA SOCIEDADE
  •  (19-10-2018) - Palavra do presidente: Sem sentido
  •  (16-10-2018) - Artigo: Órfãos
  •  (11-10-2018) - Palavra do presidente: Verdade
  •  (05-10-2018) - Artigo: Mais problemas
  •  (04-10-2018) - Artigo:O DANO SINÉTICO E O FIM DO MERO INADIMPLEMENTO CONTRATUAL
  •  (02-10-2018) - Artigo: Caridade