OAB Niterói online
Notícias
Palavra do presidente: Negócio fechado


Palavra do presidente: Negócio fechado

Por Antonio José Barbosa da Silva, presidente da OAB de Niterói

 

Não é todo dia que brota na Câmara dos Deputados  uma iniciativa que merecem vibrações, principalmente da raia miúda da população brasileira que vive quase na mendicância. De fato, é bom repetir, somente merece encômios.

O esse Projeto de Lei 9422/17 incentiva as pessoas que ambientes artistico-culturais e esportivo a satisfazer a vontade de bons espetáculos e permitir ajudar aos desassistidos desse imenso Brasil, ainda dominado pela pobreza.

Segunda a deputada Mariana Carvalho, do PSDB de Roraima, as pessoas que forem ao teatro ou a jogo de futebol, por exemplo, poderão pagar meia-entrada, desde que doem alimentos não-perecíveis.

O objetivo é promover ações voluntárias que beneficiem as  pessoas carentes e assim possibilitar uma maior inclusão social, destaca a Marina.

E justifica:  possibilita aos que estão na pobreza a contar com alimento digno para o seu sustento. Estima que a meia-entrada pode privilegiar 40% do público de eventos esportivos e culturais.

Possibilita aos que estão na pobreza ter um alimento digno para o seu sustento, justificou a deputada.

 O texto altera a Lei nº 12.933/13 que trata do benefício de meia-entrada para estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes para incluir entre os beneficiados, pessoas doadoras de um quilo de alimento não-perecível no ato da compra do ingresso.

Nesse país onde predomina o egoísmo desenfreado, em que cada um pensa em si e não no próximo, é uma ótima oportunidade para se fazer o bem.

Olhe que o Brasil atravessa por uma crise sem precedentes com o desemprego e a miséria campeando pelos quatro cantos, sem qualquer solução a curto, aliás, nem a longo, pois a coisa está feíssima.

A união faz a força e abrindo mão do egoísmo em favor do coletivo os futuros integrantes da meia-entrada poderão ajudar muita gente a se alimentar condignamente.

Basta, portanto, aproveitar o beneficio para facilitar muitas pessoas a melhorarem o padrão de vida, saindo para uma categoria melhor,

Torcer, torcer para que o projeto passe e os fãs da cultura e do esporte comprem os ingressos, sabendo, de antemão, estarão engajados  na lutar para ajudar aos desassistidos.
 

Publicação em O Fluminense de 24-8-18

 

 

...


back